Se você já tem uma loja virtual ou está pensando em criar sua própria marca de roupas mas não sabe muito bem como precificar um produto, não se preocupe. Esse é um desafio comum para muitos empreendedores e empresários.

O preço de venda é um dos fatores mais importantes para o sucesso de um negócio, pois afeta diretamente a lucratividade e a competitividade da empresa.

Para calcular o preço de venda de um produto, é necessário considerar diversos fatores, como os custos de produção, os impostos, as despesas fixas e variáveis, a margem de lucro desejada e a concorrência.

Cada produto tem suas particularidades e, por isso, é importante fazer uma análise detalhada para definir o preço ideal. Além disso, é fundamental estar sempre atento às mudanças no mercado e aos comportamentos dos consumidores, para ajustar o preço de venda de acordo com as demandas e as tendências.

Sendo assim, se você já teve dúvidas sobre como precificar um produto em sua loja virtual, confira neste artigo tudo o que você precisa saber sobre precificação para ter sucesso ao empreender online!

Entendendo os Custos do Produto

A primeira coisa que você precisa saber são os custos envolvidos na produção de um produto. Afinal, esses custos são fundamentais para que você possa calcular corretamente o preço de venda (ou o preço final) do seu produto. Basicamente, esses custos podem ser divididos em dois tipos: custos fixos e custos variáveis.

Veja a seguir a diferença entre os dois:

Custos Fixos

Os custos fixos são aqueles que não mudam, independentemente da quantidade de produtos que você produz. Eles incluem, por exemplo:

  • Aluguel do espaço
  • Salários dos funcionários
  • Contas de luz, água e internet
  • Seguros e impostos fixos

É verdade que esses custos são indiretos, ou seja, não fazem parte da produção do produto em si, mas eles devem ser considerados no momento de fazer a precificação.

Para isso, esses valores podem ser divididos pelo número de produtos que você espera vender mensalmente. Dessa forma, você terá um valor específico unitário que precisará ser considerado ao calcular o valor final do produto.

Por exemplo, digamos que você tenha uma loja de roupas e após calcular os custos fixos, você chegou ao valor de R$ 5000. Neste exemplo fictício, esse é o custo fixo mensal que sua empresa tem.

Vamos supor que você pretende vender 150 peças de roupas por mês. Ao dividir o total dos custos fixos (R$ 5000) pelo número de peças que você pretende vender ao mês (150), você chega ao valor aproximado de R$33. Mas calma, esse ainda não é o valor final do produto. Esse é o valor que precisa ser adicionado ao valor do produto para que as vendas esperadas possam cobrir, pelo menos, os custos fixos mensais.

Para continuar com o cálculo, será necessário fazer a mesma coisa para um outro tipo de custo: os variáveis.

Custos Variáveis

Para entender o que são custos variáveis, você pode fazer a seguinte pergunta: “se eu vender o dobro (ou o triplo) do que eu pretendia no mês, quais custos também aumentariam?”.

Dessa forma, podemos dizer que os custos variáveis são aqueles que mudam de acordo com a quantidade de produtos que você vende. Eles também são chamados de custos operacionais e podem incluir coisas como:

  • Matéria-prima
  • Comissões de vendedores
  • Embalagens

Esses custos devem ser somados ao valor unitário dos custos fixos para obter o custo total por produto.

É verdade que cada mercado tem uma particularidade no cálculo dos custo variáveis, mas, ainda no exemplo fictício citado anteriormente, imagine que você chegou aos seguintes valores para cada produto: matéria-prima (R$ 50), comissão de vendedores (R$ 10) e embalagem (R$ 2). Dessa forma, o custo variável unitário será de aproximadamente R$ 62.

Agora que você calculou os custos fixos e variáveis do seu produto, chegou o momento crucial: a definição da sua margem de lucro.

Definindo sua Margem de Lucro

No exemplo anterior, os custos fixos somaram R$ 33 e os custos variáveis somaram R$ 62. Isso significa que, o custo total de cada produto é o valor dos custos fixos e variáveis somados, que, neste exemplo fictício, resultou em R$ 85.

É claro que, nesse caso, estamos considerando apenas um tipo de produto. Lembre-se que esse valor precisa ser calculado para cada produto diferente, pois os custos variáveis podem mudar de acordo com o produto que você pretende vender.

Agora que você chegou ao custo total do produto, é importante definir a margem de lucro que você deseja obter com a venda do produto. A margem de lucro é a diferença entre o preço de venda e o custo total por produto. Neste exemplo, se você decidir vender um produto por R$ 150 isso significa que sua margem de lucro será de R$ 65, ou seja, o preço de venda (R$ 150) menos o custo fixo (R$ 85).

Lembre-se de que a margem de lucro deve ser realista e competitiva em relação aos preços praticados pelo mercado.

Com a Montink, a precificação fica muito mais fácil!

Você conferiu no exemplo acima que calcular o preço de um produto não é algo tão fácil assim. Afinal, se você esquecer de incluir algum item, o cálculo pode ficar comprometido, resultando até mesmo em prejuízo para o lojista.

Ter uma loja física é desafiador, pois, como você viu, os custos fixos sempre estarão presentes, mesmo que o número de peças vendidas no mês seja zero. Por isso, existe uma modalidade que vem ganhando cada vez mais espaço na vida de empreendedores: o Print on Demand.

Essa modalidade de negócio permite que qualquer pessoa possa criar uma loja virtual sem estoque, reduzindo (e muito!) os custos fixos que uma loja física normalmente teria.

Com a Montink, você só precisará se preocupar em criar o design de suas estampas e fazer a divulgação de suas peças. Isso é possível porque nós conectamos automaticamente empreendedores com os melhores fornecedores de camisetas, bonés, eco-bags, roupinhas pet e outros produtos personalizáveis.

Dessa forma, ao cadastrar um produto em sua loja virtual, você conseguirá visualizar, de forma transparente, o custo total de cada produto e poderá inserir diretamente o valor que deseja lucrar com cada peça.

Crie uma loja virtual em poucos minutos e tenha acesso a todas as funcionalidades que a Montink oferece em sua plataforma: crie sua conta e teste nossa plataforma gratuitamente!

Fatores Externos que Influenciam o Preço de Venda

Quando se trata de definir o preço de venda de um produto, é importante levar em consideração os fatores externos que também podem influenciar nesse processo. Esses fatores podem variar de acordo com o mercado em que o produto está inserido, a concorrência, a economia do país e até mesmo a sazonalidade.

A seguir, confira alguns dos principais fatores externos que devem ser considerados na hora de calcular o preço de venda do seu produto:

Concorrência

A concorrência é um fator crucial na definição do preço de venda de um produto. É importante conhecer bem os concorrentes e seus preços, para que você possa definir um preço competitivo e atrativo para seus clientes. Além disso, é preciso estar atento às estratégias de precificação dos concorrentes, como promoções e descontos, e ajustar o preço do seu produto de acordo.

Para entender como lojas de sucesso estão precificando seus produtos, confira as Top 10 lojas Montink e tenha uma visão mais ampla sobre as estratégias que esses lojistas usam.

Economia do país

A economia do país também pode influenciar diretamente o preço de venda de um produto. Em momentos de crise econômica, por exemplo, os consumidores tendem a ser mais cautelosos com seus gastos, o que pode exigir uma redução no preço do seu produto para manter a demanda. Por outro lado, em momentos de crescimento econômico, é possível aumentar o preço do produto sem afetar a demanda.

Sazonalidade

A sazonalidade é um fator importante a ser considerado na definição do preço de venda de um produto. Em épocas de alta demanda, como Natal e Dia das Mães, por exemplo, geralmente é possível aumentar o preço do produto sem afetar as vendas. Já em épocas de baixa demanda, como janeiro e fevereiro, talvez seja preciso reduzir o preço do produto para manter as vendas em alta.

Lembre-se de que a definição do preço de venda de um produto não é uma tarefa fácil e exige uma análise cuidadosa de diversos fatores. Ao levar em consideração os fatores externos que influenciam o preço de venda, você pode definir um preço justo e competitivo para seu produto.

Estratégias de Precificação de Produtos

Ao definir o preço de venda do seu produto, existem diversas estratégias que você pode adotar, dependendo do seu objetivo e do mercado em que está atuando. Algumas das estratégias mais comuns são:

Preço de Custo + Margem de Lucro

Essa é a estratégia adotada no exemplo deste artigo, e consiste basicamente em adicionar uma margem de lucro ao preço de custo do produto. Isso significa que você calcula quanto gastou para produzir o produto (matéria-prima, mão de obra, etc.) e adiciona uma porcentagem (ou um valor fixo) para obter o preço de venda. Essa estratégia é bastante utilizada por pequenos empreendedores e pode ser eficaz para garantir um lucro mínimo.

Preço Premium

A estratégia de preço premium consiste em cobrar um preço mais elevado do que a média do mercado. Essa estratégia pode ser adotada quando o produto possui um alto valor agregado, como uma marca reconhecida ou recursos exclusivos. No entanto, é importante ter em mente que essa estratégia pode afastar clientes que preferem preços mais acessíveis.

Preço de Penetração

A estratégia de preço de penetração consiste em reduzir a margem de lucro e cobrar um preço mais baixo do que a média do mercado, com o objetivo de conquistar uma fatia maior do mercado. Essa estratégia pode ser adotada quando o produto é novo no mercado ou quando há muita concorrência. No entanto, é importante ter em mente que essa estratégia pode afetar a percepção de valor do produto a longo prazo.

Preço Psicológico

A estratégia de preço psicológico consiste em utilizar preços que causem uma percepção de valor maior do que o produto realmente possui. Por exemplo, cobrar R$ 99 em vez de R$ 100,00 pode fazer com que o produto pareça mais barato. Essa estratégia pode ser eficaz para atrair clientes que valorizam promoções e descontos.

Ao definir a estratégia de precificação do seu produto, é importante considerar o seu público-alvo, a concorrência e os custos envolvidos na produção. Lembre-se de que o preço é apenas um dos fatores que influenciam a decisão de compra do cliente e que é importante oferecer um produto de qualidade e um bom atendimento para fidelizar os clientes.

Erros Comuns na Precificação de Produtos

Ao precificar um produto, é importante que você evite alguns erros comuns que podem prejudicar o seu resultado financeiro. Alguns dos erros mais frequentes na precificação de produtos são os seguintes:

1. Não considerar todos os custos

Não se esqueça de levar em conta todos os custos envolvidos na produção e venda do seu produto. Isso inclui custos diretos, como matéria-prima e mão de obra, e custos indiretos, como energia elétrica, aluguel e impostos. Se você não considerar todos esses custos, pode acabar vendendo seus produtos abaixo do preço de custo e ter prejuízos.

Se você utiliza a Montink como plataforma para sua loja virtual, pode ficar tranquilo, pois todos os custos envolvidos no produto já estarão claros para você, sendo necessário incluir apenas a margem de lucro desejado para cada produto.

2. Não conhecer o mercado

Antes de definir o preço do seu produto, é importante que você conheça o mercado em que está inserido. Saiba quem são seus concorrentes, quais são os preços praticados por eles e qual é a demanda pelo seu produto. Se você não conhecer o mercado, pode acabar definindo um preço muito alto ou muito baixo, perdendo vendas ou tornando o negócio insustentável.

3. Não atualizar os preços

Não se esqueça de atualizar os preços dos seus produtos regularmente, levando em conta a inflação e outras mudanças no mercado. Se você não atualizar os preços, pode acabar vendendo seus produtos abaixo do preço de mercado e ter prejuízos.

4. Não considerar promoções e descontos

Não se esqueça de considerar promoções e descontos na hora de precificar seus produtos. Essa pode ser uma ótima maneira de atrair novos clientes e aumentar as vendas, mas é importante que você leve em conta o impacto dessas ações na sua margem de lucro. Se você não calcular corretamente as promoções e descontos oferecidos, pode acabar tendo prejuízos mesmo com o aumento das vendas.

Conclusão

Agora que você sabe como calcular o preço de venda do seu produto, pode tomar decisões mais efetivas sobre o seu negócio. Lembre-se de que o preço de venda deve ser suficiente para cobrir todos os custos e despesas e ainda gerar lucro.

Se você tem o desejo de empreender online e gostaria de começar com o menor risco possível, experimente a Montink! Em poucos minutos você poderá criar uma loja virtual e escolher quais produtos quer começar a vender, além de, é claro, definir o preço de venda para cada produto.

Por fim, lembre-se de que o cálculo do preço de venda é uma etapa crucial do processo de precificação. Dedique tempo para analisar todos os custos e despesas envolvidos e faça ajustes sempre que necessário. Com essas informações em mãos, você poderá tomar decisões mais estratégicas e aumentar as chances de sucesso do seu negócio.

(Visited 400 times, 1 visits today)
Fechar
1
0
Gostou do artigo? Deixe seu comentário!x